banner
Extintores

 

Os extintores são equipamentos de proteção ativa contra incêndios. Não é um meio para combater fogos de grandes dimensões, mas pode ser fundamental para evitar que um foco de incêndio se propague e transforme num incêndio de difícil extinção.

Os extintores servem para combater um incêndio enquanto este ainda está numa fase inicial. Tendo uma carga limitada, os extintores podem esgotar-se numa questão de segundos pelo que é muito importante saber como e quando utilizá-los.

Como funcionam?

Os extintores são reservatórios cilíndricos feitos de metal que contêm no interior produtos próprios para o combate de incêndios, como água, pó químico, dióxido de carbono ou espuma. Além do produto utilizado para proceder à extinção do incêndio, dentro do extintor existe geralmente um pequeno reservatório que contém uma substância comprimida – normalmente o azoto. Quando se aciona o manípulo do extintor, o azoto é libertado no interior do reservatório que contém o produto extintor. Assim que o azoto ocupa o reservatório maior, os produtos utilizados para proceder à extinção do incêndio são expelidos para o exterior através da mangueira de descarga do extintor.

Como utilizar o extintor?

Os agentes extintores contidos nos extintores de incêndio têm uma carga limitada e esgotam-se rapidamente pelo que é muito importante saber utilizar estes equipamentos correctamente:

  1. Retire a cavilha de segurança do extintor.
  2. Aponte o jato à base do fogo.
  3. Prima o manípulo de descarga.

Regras para utilizar o extintor em Segurança

  • Só se deve utilizar um extintor quando o fogo é de pequena dimensão e está sob controlo.
  • Antes de atacar as chamas, assegure-se que já todos abandonaram a área atingida e que ninguém precisa de ajuda.
  • Se a área onde se encontra o fogo estiver cheia de fumo, abandone rapidamente o local. Não se esqueça que a inalação de fumos tóxicos é uma das principais causas de morte em situações de incêndio.
  • Em casa tenha um extintor do tipo ABC porque este pode ser utilizado nos diversos tipos de fogo. Escolha um extintor que seja relativamente grande mas cujo tamanho e peso não comprometam a facilidade de utilização do mesmo.
  • Certifique-se sempre que os extintores que compra estão de acordo com a atual legislação em vigor.
  • Antes de utilizar um extintor leia as instruções e familiarize-se com a forma mais correta de o utilizar.

Diferentes tipos de extintores

Existem diferentes tipos de extintores que são utilizados em diferentes tipos de fogos. Dependendo do combustível do incêndio, existem extintores específicos que são indicados para apagar as chamas. Por esta razão, é importante que conheça os diversos tipos de incêndios:

Fogos Classe A: São fogos que têm como combustíveis materiais orgânicos sólidos, deixando resíduos, em forma de brasas. Para estes incêndios são indicados extintores de água, espuma ou pó ABC.

Fogos Classe B: São fogos provocados por matérias líquidas e sólidas que são facilmente inflamáveis mas que não deixam resíduos (ex: gasolina, álcool, tinta, etc.). Para este tipo de fogos aconselham-se extintores de dióxido de carbono (CO2), espuma ou pó ABC.

Fogos Classe C: São fogos que envolvem gases inflamáveis, como o gás natural, butano ou propano. Para estas situações é adequada a utilização de extintores de dióxido de carbono e de pó ABC.

Fogos Classe D: São fogos que envolvem metais combustíveis como o magnésio ou o titânio. A particularidade destes combustíveis exige produtos extintores especiais para os apagar. Nestes casos aconselha-se a utilização de extintores de pó químico D.

Fogos Classe F: São fogos que envolvem produtos para cozinhar, como óleos e gorduras vegetais ou animais.

Nota: Para os fogos envolvendo equipamentos elétricos (sem classe de fogo definida) pode ser indicado o agente extintor de Dióxido de Carbono (CO2).

Manutenção de Extintores

A manutenção é um dos aspectos mais importantes dos extintores. A manutenção é obrigatória por lei e deve ser feita anualmente ou sempre que o extintor for utilizado.

Além de ser obrigatória, a manutenção tem de ser efetuada por empresas especializadas e certificadas segundo a norma NP 4413.

Os extintores devem conter uma etiqueta de manutenção onde deverão estar as seguintes informações: ano e mês do carregamento do extintor, ano e mês da revisão e, ainda, ano e mês de validade, após o qual é necessário novo processo de manutenção.

Para poderem efetuar o serviço de manutenção e extintores, as empresas terão de estar registadas para esta atividade na ANPC - Autoridade Nacional de Proteção Civil. Poderá consultar a lista de entidades registadas aqui.

Poderá ainda conhecer as empresas associadas da APSEI - Associação Portuguesa de Segurança que estão certificadas para efetuar este serviço no site da APSEI.

Cuidados a ter com extintores

  • O extintor nunca deve estar tapado com peças de roupa, armários ou outros objectos que dificultem o acesso a este em caso de incêndio.
  • A pressão do extintor deve estar sempre no nível recomendado. Isto é, a agulha indicativa da pressão do extintor deve estar na zona verde.
  • A mangueira do extintor deve estar sempre desimpedida para que a água, o pó ou a espuma, possam sair do interior do extintor.
  • O extintor não deve apresentar sinais de desgaste como a cavilha danificada, fugas, ferrugem ou outros.
  • Os extintores devem estar instalados junto às saídas. Sempre que tiver de utilizar um certifique-se que nas suas costas há sempre um caminho livre. Se o fogo se descontrolar deve ter um caminho seguro para abandonar o local.
  • Saiba quando abandonar o local do incêndio. O extintor é um elemento de segurança limitado que não foi pensado para combater fogos de grandes dimensões.

Sabia que…

Os primeiros registos que existem sobre extintores são de 1723, ano em que Ambrose Godfrey patenteou este meio de combate a incêndios.

O primeiro extintor moderno foi inventado, em 1813, por George Manby no Reino Unido. Este extintor é considerado moderno porque já utilizava um sistema com gás comprimido.

Em 1904, Aleksandr Loran, o criador da espuma utilizada no combate a incêndios, foi também o inventor do extintor de espuma.

Em 1924, a Walter Kidde Company criou o primeiro extintor de CO2. Este projecto foi feito para responder a um pedido da Bell Telephone. Esta companhia telefónica procurava um pó químico que não fosse condutor de energia para combater os incêndios nas suas centrais telefónicas.




© 2017 SEGURANÇA ONLINE TODOS OS DIREITOS RESERVADOS