banner
Ataques Terroristas

 

Os ataques terroristas são uma das ameaças permanentes do século XXI e podem ser executados de várias maneiras, sendo a preparação para um evento desta natureza complicada. No caso de um ataque terrorista, o mais importante é seguir as instruções prestadas pelas autoridades competentes, como a polícia, as corporações de bombeiros e a proteção civil. No entanto, existem alguns procedimentos que o poderão ajudar a estar preparado para estas situações.

 

Indicações gerais de segurança:

  • Esteja atento ao que se passa à sua volta.
  • Se detetar algo estranho deve abandonar o local onde está.
  • Em caso de viagem:
    • Esteja especialmente atento a comportamentos estranhos;
    • Não aceite ofertas como pacotes e envelopes de pessoas que não conhece;
    • Nunca abandone a sua bagagem;
    • Informe as autoridades quando encontrar bagagens abandonadas ou pessoas com comportamentos estranhos.
  • Quando estiver num edifício que não conhece, informe-se sobre a localização das saídas de emergência.
  • Esteja preparado para sobreviver sem acesso a serviços do seu dia-a-dia como eletricidade, telefones, gás natural, rede de multibanco, gasolina, internet entre outros.
  • Certifique-se que nos edifícios que frequenta existe:
    • Rádio e lanternas a pilhas;
    • Pilhas de reserva;
    • Mala de primeiros socorros;
    • Capacetes de proteção e máscaras de pó;
    • Fita de cor fluorescente para isolar as áreas mais perigosas.

 

Locais Mais Comuns de Ataques:

Há locais que devido à sua função são vistos como alvos preferenciais para os ataques terroristas. Estes lugares têm normalmente uma grande concentração de pessoas ou guardam materiais essenciais à segurança de um país. Os alvos preferenciais são:

  • Edifícios militares, civis e governamentais.
  • Aeroportos.
  • Cidades de grande dimensão.
  • Espaços públicos.
  • Monumentos históricos.
  • Sistemas de abastecimento de água.

 

ATENTADOS COM UTILIZAÇÃO DE BOMBAS

Se atender um telefonema e for informado sobre uma ameaça de bomba, deve recolher o máximo de informação sobre a bomba e sobre quem telefona.

Deve perguntar o seguinte:

  • Quando é que a bomba vai explodir?
  • Onde está a bomba?
  • Qual o aspeto dos explosivos?
  • Que tipo de bomba é?
  • Que mecanismo vai acioná-la?
  • Foi a pessoa ao telefone que colocou a bomba?
  • Porquê?
  • Qual o seu endereço?
  • Qual o nome?

Tente manter a pessoa do outro lado da linha o máximo de tempo que conseguir e, se possível, grave a chamada.

Deve também informar, o mais depressa possível, a polícia e os responsáveis de segurança sobre a ameaça.

 

O que fazer durante a explosão de uma bomba

Se estiver num edifício em caso de atentado terrorista, deve manter a calma e atuar da seguinte maneira:

  • Se estiverem a cair objetos à sua volta, procure abrigo debaixo de uma mesa, secretária, ou objetos semelhantes que possam oferecer-lhe segurança.
  • Quando os objetos pararem de cair, deve sair rapidamente do edifício, tendo sempre atenção aos caminhos que atravessa. Há o risco de pisos e escadas desabarem.
  • Tenha sempre atenção porque mesmo depois da explosão corre o risco de ser atingido por materiais que se soltem do teto.
  • Não entre em elevadores, utilize sempre as escadas.

 

No exterior do edifício:

  • Mantenha as portas desobstruídas para não dificultar a saída de pessoas que se encontrem no interior do edifício.
  • Evite ficar parado na frente de janelas, portas de vidro ou outras áreas onde possa estar em perigo.
  • Não fique parado em passeios ou estradas utilizadas pelas equipas de regaste.

 

Se ficar preso nos destroços de um edifício:

  • Se possível, utilize uma lanterna, ou um apito, para indicar a sua presença às equipas de socorro.
  • Bata com algum material em canos, ou semelhantes, para que as equipas de salvamento saibam onde está.
  • Evite gritar. Faça-o apenas em último recurso porque ao gritar pode inalar quantidades perigosas de pó.
  • Evite movimentos desnecessários para não levantar poeira.
  • Proteja a boca e o nariz. As roupas de algodão são um bom exemplo de filtro para evitar inalar poeira.

 

CORREIO E ENTREGAS SUSPEITAS

Os correios são um dos meios utilizados por terroristas para assustar as populações e pressionar políticos. Deve ter cuidado com todo o correio que recebe, especialmente no seu local de trabalho. As encomendas e cartas podem conter explosivos artesanais, produtos químicos ou agentes biológicos.

 

Características comuns a encomendas suspeitas:

  • São cartas ou encomendas inesperadas e de pessoas desconhecidas.
  • Não mencionam o remetente e têm menções como “pessoal”, “privado”, urgente ou “confidencial”.
  • Cartas dirigidas a pessoas que já não habitam/trabalham no sítio para onde são enviadas.
  • Correio de desconhecidos onde o endereço não está correto. (Ex: código postal diferente da morada; carimbo distante da residência do remetente, etc.).
  • Nome e endereço do destinatário incorretos (escrita irregular, erros ortográficos, títulos académicos trocados, endereço incompleto, etc.).
  • Existência de odor suspeito e manchas estranhas.
  • Excesso de fita adesiva.
  • Embalagem rígida ou insuflada.
  • Arames ou fios à vista.

 

Cuidados a ter com encomendas suspeitas:

  • Não comer ou beber nas áreas destinadas à abertura do correio.
  • Não cheirar as encomendas ou os envelopes que lhe pareçam suspeitos.
  • Colocar o correio num recipiente onde este possa ser selado. Caso isto não seja possível, deve colocar o mesmo num caixote do lixo e cobri-lo com peças de roupa.
  • Deve manusear com cuidado qualquer carta que lhe pareça suspeita. Isto é, utilizar proteção nas mãos, e não abanar, apertar ou deixar cair o recipiente desta.
  • Se tiver de sair da sala onde esteve em contacto com o correio suspeito, feche a sala para que mais ninguém entre nela.
  • Lave as mãos com água e sabão.
  • Avise as autoridades competentes (112) e o responsável pela segurança do edifício.
  • Se houver indícios de que a correspondência tem material explosivo ou radioactivo, deve proceder-se imediatamente à evacuação do edifício.

 

ATAQUES BIOLÓGICOS

Os ataques biológicos podem causar momentos de pânicos pois o desconhecimento face aos mesmos causa grande incerteza junto das populações. As ameaças neste tipo de ataques podem ser muito variadas pelo pode ser fundamental saber como agir.

 

Cuidados a ter antes de um ataque biológico

Ter a vacinação em dia. Este ponto assume especial importância para crianças e idosos porque estes são os mais vulneráveis perante agentes biológicos.

Considere a instalação de um filtro de ar de alto rendimento em sua casa. Este é capaz de filtrar a maioria dos agentes biológicos.

 

Durante um ataque biológico

Os ataques biológicos são situações em que as autoridades podem demorar algum tempo a descobrir as ameaças. Deve por isso:

  • Manter sempre a calma e acalmar os que estão à sua volta.
  • Acompanhar os boletins informativos.
  • Obedecer sempre às instruções das autoridades competentes.

 

Caso esteja em contacto com uma substância suspeita:

  • Afaste-se rapidamente do local.
  • Lave as mãos com sabonete e água.
  • Contacte as autoridades competentes através do 112.

 

Em caso de exposição a um agente biológico:

  • Retire todas as suas roupas e objetos que estejam em contacto com o seu corpo e coloque-os num saco. As roupas da cintura para cima devem ser cortadas para evitar que entrem em contacto com os olhos ou/e a boca.
  • Lave-se com água e sabão e vista roupas lavadas.
  • Ligue para as autoridades competentes (112) para obter assistência.
  • Prepare-se para ficar de quarentena.

 

Depois de um ataque biológico:

Depois de um ataque biológico, deve seguir sempre as instruções fornecidas pelas autoridades competentes. Esteja atento aos blocos informativos que são o principal meio utilizado pelas autoridades para lhe darem instruções.


 

ATAQUES QUÍMICOS

As ameaças dos agentes químicos não são facilmente detetáveis, sendo que os seus efeitos não afectam somente os humanos mas também insetos e outros animais. Enquanto no exterior a maior parte dos agentes químicos tende a dispersar rapidamente, nos edifícios, quando concentrados, os agentes químicos podem ser altamente letais.

Os ataques com agentes químicos são muito difíceis de detetar uma vez que estes não têm cor ou cheiro. No entanto, os seguintes sintomas podem indicar uma situação de ataque químico:

  • Dificuldades respiratórias;
  • Irritação nos olhos;
  • Dificuldades de coordenação motora;
  • Náuseas;
  • Ardor no nariz, garganta e pulmões.

Além dos sintomas indicados, é também possível que se verifique à volta do espaço infetado um invulgar número de animais e insetos mortos.

 

Precauções para lidar com ataques químicos:

  • Defina em casa e nos locais que frequenta regularmente uma sala que será utilizada como abrigo. De preferência escolha uma divisão sem portas, nem janelas ou grelhas de ventilação.
  • Verifique se no seu estojo de emergência tem:
    • Tesoura e fita para isolar áreas;
    • Plástico para cobrir as portas, as janelas e as grelhas de ventilações da sua sala/abrigo. Para poupar tempo importante, procure ter o plástico cortado à medida das portas, janelas ou grelhas ventilação da sala.

 

Em situação de ataque químico

Se as autoridades derem instruções para ficar em casa ou no local de trabalho deve:

  • Fechar todas as portas e janelas;
  • Desligar os sistemas de ventilação, ares-condicionados e semelhantes;
  • Procurar abrigo no interior do edifício e levar consigo o seu estojo de emergência;
  • Isolar o abrigo com a fita do estojo de emergência e colocar os plásticos previamente cortados nas portas, janelas e grelhas de ventilação;
  • Ouvir através do rádio a pilhas as instruções das autoridades competentes.

Se estiver numa área contaminada deve:

  • Retirar-se urgentemente da área e procurar um abrigo o mais depressa possível;
  • Contactar as autoridades competentes através do 112 e pedir instruções.

 

Depois de um ataque químico:

  • Não abandone o seu abrigo até ter indicação das autoridades para o fazer.
  • Se estiver contaminado necessita da atenção de um profissional urgentemente.

No entanto em situações de emergência pode não haver apoio disponível. Nesse caso, deve proceder por si mesmo à descontaminação.

 

Processo de descontaminação:

  • Remova todos os objetos e roupas que tenham estado em contacto com o seu corpo. As roupas da cintura para cima devem ser cortadas para evitar que entrem em contacto com os olhos ou/e a boca.
  • Coloque os objetos contaminados dentro de um saco de plástico e sele o mesmo.
  • Descontamine as mãos com sabão e água.
  • Tire os óculos ou lentes de contato e meta-os em lixívia durante alguns momentos. Depois seque-os com um pano.
  • Lave a cara e o cabelo com água e sabão.
  • Passe os seus olhos por água.
  • Lave com água e sabão outras partes do seu corpo que possam estar contaminadas.
  • Vista roupas não contaminadas. Normalmente, as roupas que estão em armários ou gavetas não ficam contaminadas.
  • Ligue para as autoridades competentes através do 112 e dirija-se a um hospital para ser observado por profissionais.

 

AMEAÇAS NUCLEARES

As ameaças nucleares, como bombas atómicas ou bombas radioativas (RDD), são extremamente perigosas. Isto deve-se à libertação de matéria radioativa e aos efeitos que esta provoca. Saber como agir no caso de ameaças nucleares pode ser fundamental para garantir o bem-estar das populações e minimizar os efeitos desta.

Os seguintes conselhos são dados a pensar no caso de uma bomba atómica. No entanto, estes podem ser aplicados em todas as situações onde existe libertação de matérias radioativas.

 

Antes da explosão:

  • Faça uma lista dos locais onde se pode abrigar. Os abrigos devem estar próximos das áreas que regularmente frequenta.
  • Os abrigos devem ser subterrâneos.
  • Caso o abrigo não seja subterrâneo certifique-se que este não tem janelas, e que as paredes são suficientemente grossas para absorver a radiação libertada.
  • Em caso de ameaça nuclear, tenha o cuidado de garantir mantimentos no seu estojo de emergência para períodos superiores a duas semanas.

 

Durante o rebentamento de uma bomba atómica:

Se as autoridades derem o alerta de perigo de explosão nuclear deve:

  • Abrigar-se o mais depressa possível, e, de preferência, debaixo do solo.
  • Manter-se no abrigo até instruções em contrário.
  • Seguir as instruções das autoridades competentes.

 

Se não conseguir ir para um abrigo:

  • Não olhe para a explosão nem para a bola de fogo. Pode ficar cego.
  • Abrigue-se atrás de tudo o que o possa proteger.
  • Deite-se no chão protegendo a cabeça. Fique assim durante vários minutos. A onda de energia pode demorar mais de trinta segundos até alcançar o ponto onde está abrigado.
  • Mesmo depois da explosão, procure um abrigo. Se estiver a quilómetros de distância da explosão não se esqueça que a radiação pode ser transportada pelo vento.

 

Após o rebentamento de uma bomba atómica:

  • Não abandone o abrigo até ordens em contrário. As pessoas abrigadas perto da zona de explosão podem ter de ficar no abrigo por períodos superiores a um mês.
  • Escute nos meios de comunicação social as instruções das autoridades competentes.
  • Nunca se aproxime da área de explosão.

 

Fonte: FEMA




© 2017 SEGURANÇA ONLINE TODOS OS DIREITOS RESERVADOS