banner
Segurança Contra Incêndio


Em caso de incêndios em edifícios, os idosos, cuja idade é superior a 65 anos, correm um risco maior devido à sua mobilidade mais reduzida. Tendo isto em conta, é importante estar sempre preparado para conseguir abandonar a sua habitação o mais depressa possível.


Segurança em Casa

  • Sempre que possível tenha o seu quarto no rés-do-chão para facilitar uma eventual saída em caso de emergência.
  • Como medida de segurança, poderá instalar detetores de incêndio em todas as instalações da sua casa, incluindo os quartos e a garagem.
  • Deve instalar em sua casa um sinal de alarme. Quando está a dormir, ao invés de despertar, o fumo de um incêndio poderá levar a um estado de sono profundo.
  • Se tiver problemas de audição procure no mercado alarmes que contornem esta situação, como por exemplo, que emitem um alarme por vibrações e com luz.
  • Pratique regularmente simulações de incêndio e os caminhos que tem de percorrer para abandonar a sua residência em caso de emergência.
  • Se tiver dificuldades em deslocar-se e necessitar de ajuda certifique-se que há alguém que em caso de emergência possa vir em seu auxílio. No caso dessa pessoa não estar sempre disponível, deve ter a certeza que mesmo assim haverá alguém que virá em seu socorro.
  • Tenha portas e janelas que sejam fáceis de abrir através do interior da casa para as poder utilizar como saídas de emergência.
  • Mantenha sempre um telemóvel perto de si. Se ficar encurralado poderá ligar para os bombeiros e pedir ajuda.


Segurança em Residências e Centros de Dia

Nos dias que correm, grande parte da população sénior vive em residências ou frequenta centros de acolhimento. Ao contrário de uma habitação privada, estes espaços têm uma grande concentração de pessoas. Nestes casos, as regras de prevenção e segurança que se aplicam são naturalmente mais rígidas e exigentes.

  • As residências e centros de dia devem estar sempre equipados com alarmes e detetores de incêndio.
  • O edifício deverá ter equipamentos para combate de incêndio, como extintores ou carretéis. A instalação de sprinklers é aconselhada como uma mais-valia para a segurança.
  • As zonas onde se encontram e circulam pessoas com mobilidade reduzida devem ser situadas ao nível do rés-do-chão.
  • Os elevadores devem ter proteção para que não funcionem como uma chaminé em caso de incêndio.
  • Se pessoas com mobilidade limitada circularem nos andares superiores, os lares devem possuir zonas de refúgio onde estas possam, em caso de emergência, aguardar por auxílio.
  • O número de funcionários presentes no edifício, mesmo durante a noite, deve ser suficiente para evacuar todos os idosos que precisem de auxílio. 
  • Nestes espaços é proibida a utilização de grades ou outros equipamentos que dificultem o acesso de equipas de segurança.
  • As diferentes divisões do edifício devem estar separadas com portas corta-fogo para evitar/retardar a propagação em caso de incêndio.
  • Os edifícios com mais de 50 pessoas (clientes e funcionários) têm de ter duas saídas de emergência, sendo que uma delas deve ser utilizada somente para esse efeito.
  • As portas das saídas de emergência devem estar sempre equipadas com barras anti-pânico.
  • As saídas de emergência nunca devem estar a uma distância superior a 30 metros de qualquer ponto do edifício. 
  • As saídas de emergência devem estar sempre desobstruídas.
  • A sinalização que indica as saídas de emergência deve ser visível em qualquer zona do edifício.
  • A utilização ou arrumação de materiais inflamáveis ou que possam facilmente explodir (materiais de limpeza ou garrafas de oxigénio) deve ser efetuada com todas as precauções.



© 2017 SEGURANÇA ONLINE TODOS OS DIREITOS RESERVADOS